quinta-feira, 5 de julho de 2012

Processo industrial da amônia

Bolsista: Ana Lucia Miranda


    Olá leitores todos conhecem a amônia? Está substancia é bastante utilizada para descolorir pelos e outras finalidades, vamos juntos descobrir coisas interessantes sobre seu processo de produção.
      Na indústria química a amônia (NH3) é um dos principais compostos produzidos, nos Estados Unidos ela está entre as primeiras substancias químicas de maior produção industrial, o volume anual de amônia originado industrialmente pode atingir a 19 milhões de toneladas.   



      Durante a Primeira Guerra Mundial os ingleses bloquearam o acesso naval à Alemanha, impedindo que os mesmos de terem acesso as minas de salitre nitrato de sódio, NaNO3 localizadas  no Chile que  eram utilizadas como fonte de nitrato para fabricar fertilizantes e explosivos. O químico alemão Fritz Haber 1868-1934 em busca de uma solução para sanar seus problemas desenvolveu um processo de síntese, submetendo o gás nitrogênio, obtido do ar atmosférico, e o gás hidrogênio obtido da água, à temperatura e pressão elevadas produzindo amônia.


      A reação da amônia com oxigênio, catalisada pela platina, leva à produção de ácido nítrico (HNO3 aq), o ácido nítrico neutralizado com amônia produz nitrato de amônio, que supre perfeitamente o nitrato de sódio na produção de fertilizantes e explosivos. O responsável por levar esse processo à escala industrial foi Carl Bosch.
        A reação da amônia é reversível, sendo assim rapidamente ela atinge o equilíbrio.
        A reação Fe formação da amônia ocorre com contração de volume, ela é favorecida pelo aumento de pressão.
     A pressão age no sentido de fazer com que as moléculas dos reagentes fiquem mais próximas umas das outras, limitando o campo de seu movimento e favorecendo a formação de NH3(g), industrialmente as pressões que são utilizadas variam entre 200 atm e 1000 atm.
     Na natureza a amônia ocorre em pequenas quantidades, quase que totalmente como produto de decomposição de materiais orgânicos que contenham nitrogênio, como por exemplo, as proteínas.
Boa leitura e até a próxima semana com novas matérias!


Fontes:

REIS, M.; Química – Meio Ambiente – Cidadania – Tecnologia. v. 2, Editora FTD, 2011.




Nenhum comentário:

Postar um comentário